.: Calçados bons para os pés desde os primeiros passos

Infância passo a passo

Na fase dos primeiros passos, é preciso ter muito cuidado na hora de escolher o calçado para o bebê. O importante é deixar os pés bem livres, de modo a permitir seu desenvolvimento natural. Este é um momento no qual o metabolismo do ser humano está extremamente ativo e voltado ao crescimento. Outro ponto a ser considerado é o solado antiderrapante para evitar escorregões, porque já basta ao bebê a sua falta de equilíbrio, própria deste período de desenvolvimento. Nesta fase, as meias antiderrapantes são indicadas, por serem suficientes para manter os pés protegidos, principalmente do frio. A estrutura dos pés dos bebês, normalmente sem arcos, é muito frágil; apenas pequenas partes do esqueleto do pé e do tornozelo possuem ossos, ou seja, a maior parte é formada por cartilagens e os ligamentos são elásticos. Essa delicadeza requer cuidado quanto ao uso de sapatos pouco flexíveis e macios.

O sapato começa a ganhar o status de fundamental na vida da criança no primeiro ano de vida, momento a partir do qual a troca deve ser realizada com frequência, antes de ultrapassar três meses. Nessa fase, o ideal é optar por sapatos de couro ou tecido macio, que deixem os pés ventilados e que mesmo amplos – para permitir os movimentos dos pés –, não saiam com facilidade. Os pais devem valorizar um solado que não derrape, pois até os dois anos os tendões são muito flexíveis e a musculatura não está firme.

A partir dos dois anos, o arco do pé começa a aparecer. Nesta fase, as crianças começam a caminhar com mais intensidade e o calçado precisa também oferecer segurança e estabilidade.

Dos quatro aos sete anos, a opinião das crianças começa a contar. É nesse momento que os pais devem ser firmes e procurar combinar beleza e saúde na hora de escolher um modelo. Mais uma vez, priorize aqueles fabricados com materiais flexíveis e com espaço suficiente para acomodar os pés sem limitar os movimentos. A numeração deve ser adequada! Usar um sapato apertado ou largo demais prejudica o crescimento do pé, pode causar problemas de postura e comprometer a coluna. Sabemos que os pés das crianças crescem rápido e que muitos pais optam por comprar números maiores para aumentar a vida útil do calçado. Esse é o tipo de economia que deve ser evitada! O ideal é comprar, no máximo, dois pares de qualidade e de tamanho adequados.
No caso das meninas – cujos pés crescem mais rápido do que o dos meninos –, muita atenção para os modelos com saltinhos, que são totalmente inadequados na fase de crescimento e para o estilo de vida infantil, já que as crianças correm e pulam o tempo todo. Não aconselho saltos altos para crianças, muito menos sandálias com saltos, porque o risco de sofrerem torções ou fraturas é muito grande.

A anatomia do pé reúne um conjunto de ossos, juntas, articulações, ligamentos, músculos e tendões, que permite uma enorme série de movimentos. O uso de calçado inadequado pode causar deformação. Originalmente, o pé humano se desenvolveu para andar descalço. Mas é claro que há séculos, por segurança e higiene, este hábito foi abandonado. Escolha o que for melhor para o desenvolvimento saudável dos pés. O bom calçado é aquele que proporciona a sensação mais próxima de estar descalço. Também recomendo que deixem as crianças um pouco descalças na grama ou na praia para exercitarem seus pezinhos. Para isso, observe se o chão está livre de objetos que possam oferecer algum perigo. A biomecânica dos pés foi criada para ser usada, por isso, os modernos sapatos com conceito fisiológico estão cada vez mais presentes no mercado Europeu, inclusive para adultos.

Dr. Fabio Ravaglia
Fonte: site Instituto Ortopedia e Saúde
www.ortopediaesaude.org.br